Respostas Mórmons: Deus Fala Conosco

agosto 21, 2013 · Nenhum Comentário

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, frequentemente chamada de Igreja Mórmon, afirma que Deus fala em nossos dias!

Como Santos dos Últimos Dias, eu acredito que Deus fala ao mundo todo e para mim especificamente. Eu escuto a voz de Deus através de Seu profeta vivo e pelo estudos das escrituras.

Deus Fala Através dos Profetas

crencas-livro-mormonUm profeta é chamado por Deus como Seu porta-voz, que então compartilha as profecias, revelações e mandamentos de Deus para todo o mundo. Os profetas chamam as pessoas ao arrependimento. Outra parte importante do papel de um profeta é ensinar as pessoas que Deus existe e da divindade de Jesus Cristo. A medida que as pessoas compreendem a verdadeira natureza de Deus e Seu plano para elas, o arrependimento começa a fazer sentido.

Deus Revelou-se ao Profeta Joseph Smith

Depois de estudar as doutrinas e começar a desejar aos mandamentos de Deus sendo batizado, Joseph Smith leu Tiago 1:5.

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada”.

Incentivado pela promessa feita por Deus de que responderia sua oração sincera , Joseph se ajoelhou em um bosque e perguntou a Deus a qual igreja deveria unir-se.

Joseph relata:

Mas usando todas as forças para clamar a Deus que me livrasse do poder desse inimigo que me subjugara, no momento exato em que estava prestes a sucumbir ao desespero e abandonar-me à destruição—não a uma ruína imaginária, mas ao poder de algum ser real do mundo invisível, que possuía uma força tão assombrosa como eu jamais sentira em qualquer ser—exatamente nesse momento de grande alarme, vi um pilar de luz acima de minha cabeça, mais brilhante que o sol, que descia gradualmente sobre mim.

Assim que apareceu, senti-me livre do inimigo que me sujeitava. Quando a luz pousou sobre mim, vi dois Personagens cujo esplendor e glória desafiam qualquer descrição, pairando no ar, acima de mim. Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: Este é Meu Filho Amado. Ouve-O! (Veja Joseph Smith 1:16-17)

Deus o Pai Eterno e Seu Filho Amado Jesus Cristo apareceram a Joseph Smith! Eles disseram a Joseph que não unisse a nenhuma igreja, e que a plenitude do evangelho não se encontrava sobre a terra e precisava ser restaurado. Deus Se revelou a Joseph Smith e o chamou para ser um profeta. Joseph então ensinou as pessoas sobre a verdadeira natureza de Deus – que Ele é um ser ressuscitado de carne e ossos, que Ele e Jesus Cristo são dois personagens distintos, e que Deus ainda fala aos homens e mulheres que o escutarem.

Eu me lembro de quando orei pela primeira vez para saber se Joseph Smith tinha realmente visto Deus o Pai e Jesus Cristo o Filho. Para ser verdadeiramente convertida, eu precisava saber se o seu relato era verdadeiro. Eu senti o Espirito Santo, uma paz e calma que me asseguraram que aquilo era verdadeiro e me revestiu de coragem para me unir ao Mormonismo. Aquele testemunho arde dentro de minha mente e coração, ainda hoje.

Deus Fala por meio de Seus Profetas

mormon-profeta-Thomas S. MonsonEm abril de 2013, o Presidente Thomas S. Monson, o profeta de Deus na terra hoje, falou para uma audiência global e disse que a obediência aos mandamentos de Deus nos qualifica a receber bênçãos de conhecimento e força.

Há regras e leis para ajudar a garantir nossa segurança física. Da mesma forma, o Senhor deu diretrizes e mandamentos para ajudar a garantir nossa segurança espiritual, a fim de que tenhamos sucesso em navegar por esta, muitas vezes, traiçoeira existência mortal e, por fim, voltar à presença de nosso Pai Celestial.

O conhecimento que buscamos, as respostas pelas quais ansiamos e a força que desejamos hoje para enfrentar os desafios de um mundo complexo e inconstante podem ser nossos, se de boa vontade obedecermos aos mandamentos do Senhor. Cito novamente as palavras do Senhor: “Aquele que guarda [os] mandamentos [de Deus]” (Thomas S. Monson, “A Obediência Traz Bênçãos”, Conferencia Geral, Abril, 2013).

Ao ouvir o conselho do Presidente Monson sobre a obediência, eu senti os sussurros gentis de Deus para melhorar certas áreas de minha vida.

Eu sou tão grata que Deus fala através dos profetas!

Deus Fala a Nós Através das Escrituras

As escrituras são o registro escrito dos negócios de Deus com os homens na terra. Mesmo as escrituras antigas diferirem da cultura da minha época, o poder de Deus permite que eu aplique suas palavras a minha vida! Mesmo que eu nunca seja atirada em uma cova de leões, como Daniel por ter orado a Deus, eu ainda tenho a coragem quando enfrento o ridículo dos meus colegas por causa das minhas crenças e padrões. As circunstancias são diferentes, mas os desafios da vida são geralmente similares em sua natureza.

A Palavra de Deus Fala a Mim: Não Temas.

daniel-cova-leoes-mormonMinha historia favorita das escrituras pode ser encontrada em 2 Reis 6. O rei da Síria estava guerreando contra Israel. O Profeta Eliseu, através do poder de Deus, deu ao rei de Israel informações preciosas que salvou suas tropas. O rei da Síria ouviu falar das profecias de Eliseu e enviou suas tropas para captura-lo. Eles encontraram onde ele estava e sitiaram a cidade durante a noite.

E o servo do homem de Deus se levantou muito cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu servo lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos?

E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.

E orou Eliseu, e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu. (2 Reis 6:15-17)

Portanto tende bom ânimo e não temais, porque eu, o Senhor, estou convosco e ficarei ao vosso lado… (Doutrina e Convênios 68:6)

As escrituras fortaleceram minha confiança em Deus a medida que suas palavras saltavam das paginas e Ele falava comigo.

Uma das escrituras mais motivadores para mim foram escritas por Moroni, o ultimo profeta do Livro de Mórmon. Moroni testemunhou a autodestruição de seu país, por causa, da iniquidade até que cada um de seus concidadãos fossem mortos. Depois das batalhas, os inimigos de Moroni caçaram porque ele jamais negaria a Jesus Cristo. Em meio a estas terríveis condições, as ultimas palavras de Moroni foram de salvação através de Jesus Cristo. Todas as vezes que leio as ultimas palavras de Moroni, o Espirito Santo me enche de esperança e fé em Cristo. Moroni compartilha seu testemunho que através da graça de Cristo, nós podemos vencer nossos desafios. Isto é profundamente significativo para mim.

Sim, vinde a Cristo, sede aperfeiçoados nele e negai-vos a toda iniqüidade; e se vos negardes a toda iniqüidade e amardes a Deus com todo o vosso poder, mente e força, então sua graça vos será suficiente; e por sua graça podeis ser perfeitos em Cristo; e se pela graça de Deus fordes perfeitos em Cristo, não podereis, de modo algum, negar o poder de Deus.

E novamente, se pela graça de Deus fordes perfeitos em Cristo e não negardes o seu poder, então sereis santificados em Cristo pela graça de Deus, por meio do derramamento do sangue de Cristo, que está no convênio do Pai para a remissão de vossos pecados, a fim de que vos torneis santos, sem mácula.

E agora me despeço de todos. Logo irei descansar no paraíso de Deus, até que meu espírito e meu corpo tornem a unir-se e eu seja carregado triunfante… (Moroni 10:32-34).

Eu sei que Deus fala conosco como Igreja e também individualmente em nossos dias! Escutar ao profeta vivo e ler as escrituras irá fazer com que você ouça Deus falando com você e lhe dará coragem para seguir aos Seus mandamentos e se arrepender quando necessário. Por favor, fortaleça o seu relacionamento com Deus. Ele te ama e falará com você se exercer fé Nele.

Recursos Adicionais

Saiba mais sobre a Igreja SUD

http://youtu.be/UCt0H-ixBF0

→ Nenhum Comentário: Crenças Mórmons · Profetas Modernos

Os Profetas Mormons se Aposentam?

fevereiro 15, 2013 · Nenhum Comentário

Com o anuncio de aposentadoria do Papa Católico, muitos estão se perguntando se os profetas Mormons também se aposentam. O nome Mórmon e um apelido algumas vezes usado para descrever os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

dez-mandamentos-mormon-moisés1Os profetas Mormons servem por toda a vida. E nenhum nunca renunciou. Entretanto, eles são auxiliados por dois conselheiros e doze apóstolos, assim como outros lideres. Quando um profeta não possui condições de saúde para desempenhar suas responsabilidades, grande parte do trabalho pode ser realizada por aqueles que trabalham com ele. Os apóstolos são também profetas, videntes e reveladores, embora eles não desempenhem o papel de presidente da Igreja. Em raras ocasiões, o presidente possuiu três conselheiros para ajuda-lo.

Quando um profeta morre, o modo para se escolher um novo é bem diferente da maioria das igrejas. Não existem eleições. Ninguém faz campanha pelo cargo ou costura alianças politicas. O processo é tranquilo e ordenado. Se estudarmos a Bíblia, poderemos notar que Deus sempre escolheu profetas e que as pessoas fieis nunca tiveram duvida em quem esta pessoa deveria ser.
Do mesmo modo, não existem duvidas de quem deve ser o próximo profeta. Na verdade, os Mormons já sabem hoje quem ocupara esta posição, se esta pessoa estiver viva naquele momento. Se não, eles também sabe quem esta na linha de sucessão.

Como mencionado acima, o profeta Mórmon possui dois conselheiros. Estes três homens compõem a Primeira Presidência, que é a massima autoridade dirigente da Igreja. Abaixo deles em autoridade estão os Doze Apóstolos. Os conselheiros e o profeta também são apóstolos, fazendo o total de quinze apóstolos. Cada um deles ordenados em base a senioridade ou quando foram chamados para ocupar aquela posição.

A pessoa com o maior tempo de chamado é o profeta. Presidente Monson, o atual profeta Mórmon, serviu como apóstolo mais do que todos os outros. O segundo apostolo por senioridade é o presidente do Quorum dos Doze Apostolos. Se ele estiver servindo como conselheiro, o próximo com mais tempo de serviço preenche o papel de presidente interino do respectivo quorum.

Quando um profeta morre, a Primeira Presidência é automaticamente desfeita e os conselheiros retornam aos seus lugares no quorum. Os apóstolos dirigem a igreja como um grupo com igual autoridade até que um novo profeta seja oficialmente ordenado. Os apóstolos se reúnem no templo o mais rápido possível e duas perguntas são apresentadas a eles. Se a Primeira Presidência deve ser organizada naquele momento ou se a Igreja deve continuar funcionando através da presidência do Quorum dos Doze.

Depois de conversarem a respeito, uma monção formal é feita e aceita. Então, se eles decidirem organiza-la naquele momento, uma decisão unânime é feita para aceitar o apostolo com mais tempo de quorum como novo profeta. Em seguida cada um presta seu testemunho que Deus escolheu aquela pessoa. O apostolo com maior senioridade se torna o profeta, mas é importante notar que os apóstolos oram e confirmam esta pessoa antes da transição ser realizada. Isto faz com que a seleção fique nas mãos de Deus, desde que é Ele que controla a vida e a morte e envia o testemunho através do Espírito Santo.

Uma vez que o novo profeta tenha sido ordenado, uma assembleia solene é realizada o que permite que os membros da Igreja apoiem o novo profeta. Atualmente, esta reunião especial e transmitida via satélite. Apoiar não significa votar no sentido temporal da palavra, mesmo que seja referido desta maneira. Os Mormons não votam em quem será o próximo profeta. Quando eles apoiam o profeta – ou qualquer outra pessoa que serve na Igreja – eles estão concordando em ajudar aquela pessoa a cumprir o seu chamado. Eles estão prometendo a Deus que irão honrar e apoiar essa pessoa nas suas obrigações.

O novo profeta ora por inspiração e escolhe os dois conselheiros. Quando um apostolo morre, inspiração, e não eleição, é usada para escolher o novo membro. Desse modo, a Igreja pode progredir de modo ordenado e pacifico, sem o drama e suspense que permeia as outras religiões, mas também sem especulações e controvérsias.

Depois que Joseph Smith foi assassinado, houve contendas em quem deveria ser o líder da Igreja. Um certo numero de homens apoiarem uma determinada pessoa, causando dissensão e divisão dentro da Igreja. Entretanto, muitos compreenderam que Deus os havia instruído a este respeito e um milagre confirmou isto aos fiéis. Estas pessoas continuaram na Igreja, enquanto aqueles, que procuravam somente poder e honra acabaram fundando suas próprias denominações. Muitas delas não duraram muito.

“Os homens não obteem um lugar nesta Igreja porque procuraram isto. Se houve um homem que ambicionou obter um chamado nesta Igreja, isso, por si so, o levara a sua derrota porque seu desejo não será satisfeito. São assim que funcionam os chamados desta Igreja… Eles são responsáveis perante Deus. Deus os escolheu e os designou, e é Ele que os desobrigara se errarem”. (George Q. Cannon, in Deseret Weekly, 21 de maio de 1898, p. 708.)

Desde aquele tempo, o processo tem continuado sem interrupções, sendo os membros da Igreja informados inteiramente de seu trabalho.

Aprenda mais sobre os lideres da Igreja visitando o seguinte site: Liderança e Organização

→ Nenhum Comentário: Crenças Mórmons

A Bíblia Confirma a Necessidade de Revelação Contínua?

janeiro 30, 2013 · Nenhum Comentário

dez-mandamentos-mormon-moisés1Atualmente, muitas pessoas acreditam que quando a Bíblia terminou, Deus encerrou o processo de revelação de Seu evangelho, e portanto, profetas e revelações não seriam mais necessários. Muitos acreditam que é assim, porque através da oração podemos perguntar diretamente a Deus onde encontrar a verdade, sem passar por intermediários. Mas afinal, isso é um ensinamento Bíblico, ou apenas uma desculpa criada para explicar a falta de profetas das religiões modernas?

A humanidade sempre foi ensinada para orar em busca da verdade. Depois que Adão e Eva deixaram o Jardim do Éden, eles tiveram que orar a Deus por orientação e sabedoria. A primeira menção a oração aparece em Genesis 20, quando Abraão orou por Abimeleque.

Por isso, sabemos, que os antigos também oravam. Por toda a Bíblia, vemos as pessoas orando por sabedoria e verdade – e mesmo assim eles tinham profetas. A capacidade de orar não excluiu a necessidade de profetas em nenhum lugar da Bíblia.

As pessoas sempre tiveram a prerrogativa de procurar sabedoria de Deus em todas as coisas em sua esfera de influencia. Elas podem orar para saber o que é verdade, por orientação, para saber como cuidar de suas famílias, como trabalhar, e como desenvolver suas habilidades na Igreja. Porém eles não podem orar para saber como realizar a responsabilidade de uma outra pessoa. Por exemplo, se um Mórmon é a presidente da Primaria (organização das crianças), ela pode orar para receber ajuda para ser uma melhor presidente e fazer o que o Senhor deseja que seja feito. Entretanto, ela não pode orar para saber como dirigir a Sociedade de Socorro (organização das mulheres), porque esta não é a sua responsabilidade.

Os Mórmons, um apelido para os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santo dos Últimos Dias, acreditam que somente uma pessoa pode orar a Deus para saber como dirigir toda a Igreja e quais doutrinas são verdadeiras. Esta pessoa é o profeta. Assim tem sido desde o inicio dos tempos.

Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. (Amós 3:7)

A Bíblia demonstra por que precisamos de revelação continua. Cada profeta adicionou algo ao evangelho de Jesus Cristo – cada palavra dita por Deus desde Adão é considerada revelação contínua. Isto enriquece nosso conhecimento das verdades eternas, aumenta nosso entendimento e altera certas praticas. Deus adaptou o que era praticado em cada período em razão das necessidades específicas e capacidade das pessoas em realiza-las.

Um exemplo disto pode ser encontrado no capitulo 19 de Mateus.

Os Fariseus perguntaram a Jesus por que Moisés havia permitido que os homens se divorciassem de suas esposas. Ele explicou que aquilo se dera por causa da dureza do coração dos homens, mas que no inicio, não era assim. Não é que o divorcio era aceito, mas sim que Deus o permitiu por causa da limitada capacidade de Seus filhos naquele momento especifico. Então Jesus adicionou um novo nível aquela pratica. Ele ensinou que se o divorcio fosse motivado por qualquer coisa com exceção do adultério, os ex-cônjuges não poderiam casar novamente. De novo, a pratica mudou de acordo com a capacidade do povo.

Podemos ver, se olharmos ao nosso redor, que a idéia de revelação individual por si só não tem sido eficaz. Existem milhares de religiões diferentes, mesmo dentro da tradição Protestante, todos discordam entre si em questões essenciais como o casamento e o batismo. Se a oração individual fosse tudo o que precisávamos, teríamos uma só fé e não haveriam discórdias. Entretanto, o papel da revelação pessoal tem sido sempre a de confirmar as verdades reveladas pelos profetas, e não de transformar todos em profetas, algo sem paralelo em nossa historia. A Bíblia reafirma que apenas alguns recebem esse chamado – não podemos chamar a nós mesmos para desempenhar esse papel, e nunca foi dado a todos a responsabilidade de receber as verdades reveladas. Novas revelações vem através dos profetas escolhidos pelo Senhor.

Recursos Adicionais

Saiba mais sobre a Igreja SUD clicando aqui.

→ Nenhum Comentário: Crenças Mórmons · Profetas Modernos

Profetas Mórmons

julho 25, 2012 · Nenhum Comentário

Ao lermos o Velho Testamento é impossível evitar que Deus prefere se comunicar com o mundo através de profetas. Embora a Bíblia nos mostre que Deus também comunica com indivíduos coisas que impactam sua vida pessoa, quando Ele tem uma mensagem pata todos os seus filhos, Ele a envia através de Seus profetas.

Isto acontece porque é o modo mais eficiente de evitar confusão. Mesmo hoje em dia podemos ver que muitas pessoas clama saber exatamente o que Deus quer e alguns até mesmo afirmam que esta informação veio diretamente de Deus. Uma vez que essas pessoas contradizem umas às outras, eles não podem estar recebendo sua informação de Deus porque Deus não é um Deus de confusão.

Este problema tem existido desde o início da historia do mundo. Quase sempre tem havido várias pessoas clamando ter acesso à palavra de Deus. Tem sido a responsabilidade de cada pessoa que acredita aprender por si mesmo quem são os profetas de Deus.

Os Mórmons — apelido dado aos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias — são uma das poucas igrejas que proclamam abertamente que Deus não parou de falar com seus filhos para sempre. Eles são guiados por um profeta de Deus, seguindo a admoestação da Bíblia que uma Igreja precisa ser construída sobre uma fundação de profetas e apóstolos:

“Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;
Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina” (Efésios 2:19-20).

As vantagens de ter uma igreja guiada por profetas são claras e nos ajuda a entender porque Deus escolheu este padrão para sua igreja desde o inicio dos tempos. Quando apenas uma pessoa é o profeta, ele sabe exatamente a quem procurar por verdade. Quando muitas pessoas podem pregar doutrinas conflitantes, podemos ter certeza de que o profeta, quando falando como profeta, está nos dizendo as palavras de Deus. Quando os profetas anunciam que um ensinamento está canonizado, sabemos que está correto, embora uma doutrina imposta por voto pode ser incerta.

Os Mórmons ensinam seus membros e membros em perspectiva a descobrir por si mesmos se um profeta é um profeta verdadeiro de Deus. Como o Pai prometeu dar sabedoria a qualquer um que pedisse, podemos sempre procurá-Lo em oração e perguntar se um profeta Mórmon é verdadeiramente um profeta. Não temos que confiar em qualquer resposta mortal e os Mórmons em perspectiva são ensinados que eles não devem confiar apenas nas palavras dos homens. Podemos obter um testemunho inabalável apenas se a resposta vier diretamente de Deus:

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada” (Tiago 1:5).

Após Jesus e seus apóstolos deixarem esta Terra, o mundo caiu em apostasia. Não havia a autoridade para falar com Deus, o que significava que não havia profetas depois deste tempo. O pequeno número de pessoas que acreditaram em Jesus Cristo fizeram o melhor que podiam para manter a verdade vida, mas mesmo antes de os apóstolos serem mortos, a igreja estava enfrentando a dificuldade da apostasia (afastamento da verdade).

“Bem sabes isto, que os que estão na Ásia todos se apartaram de mim; entre os quais foram Figelo e Hermógenes” (2 Timóteo 1:15).

Entretanto, naquela época, os apóstolos podiam ainda desfazer os erros e equívocos que estavam sendo espalhados pela Igreja. Quando eles se foram, não havia ninguém que pudesse fazer isto. Se uma discórdia surgisse sobre como interpretar os ensinamentos e escritos, não havia um profeta que pudesse esclarecer através do poder de Deus.

Atualmente o evangelho de Jesus Cristo, conforme ensinado no Novo Testamento, foi restaurado e há profetas novamente na Terra. Começando com Joseph Smith, que, semelhante aos profetas bíblicos, recebeu seu chamado quando ainda era muito novo, tem sempre havido um profeta na Terra e haverá até Jesus Cristo voltar. Estes últimos dias são muito complexos e enfrentamos desafios étnicos e espirituais que as pessoas da época da bíblia não podiam nem imaginar. Muitas igrejas diferem dramaticamente uma das outras em assuntos concernentes a eternidade, incluindo tentar decidir quais os ensinamentos da Bíblia eles vão obedecer. Para podermos trilhar este período complexo, um profeta é algo realmente essencial.

Percebemos que na Bíblia, Deus não da exatamente a mesma instrução para cada geração. Os novos profetas sempre adicionam ensinamentos, aumentando nosso conhecimento do evangelho. Muitos alteraram algumas práticas para atender a necessidades específicas de suas épocas. Por exemplo, a Lei de Moisés foi introduzida mesmo não sendo necessária antes de Moisés introduzi-la. Não era porque Moisés estava inventando leis ou sendo conveniente, mas porque Deus viu a necessidade destas leis naquela época e não em um tempo futuro. Moisés também introduziu os Dez Mandamentos. Jesus Cristo introduziu uma lei maior do que esta praticada previamente porque era chegado o tempo para o mundo dar um passo a frente de onde estavam. Em toda a história bíblica Deus nos mostrou que os profetas sempre serão necessários porque a condição do mundo muda e nos preparamos para leis maiores e novas práticas.

→ Nenhum Comentário: Profetas Modernos

Os Profetas Vivos nos Advertem

julho 6, 2012 · Nenhum Comentário

A preparação para emergências é necessária em lares e comunidades para futuras secas, terremotos, calor extremo, enchentes, tsunamis, tempestades, incêndios florestais, climas frios, etc. Felizmente, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (inadvertidamente chamada de Igreja Mórmon por pessoas de outras religiões) ensina não somente que devemos preparar, mas por que devemos. O profeta tem aconselhado os Mórmons a se preparar (por exemplo, através do armazenamento doméstico) e se tornar autossuficiente em suas finanças e saúde. Este post abordará as crenças Mórmons ensinadas tanto por profetas antigos quanto profetas vivos hoje em dia.

Crenças Mórmons: Profetas Antigos nos Advertem

As crenças Mórmons incluem saber que os profetas são “homens inspirados chamados para falar com o Senhor… [e] eles podem ser inspirados a profetizar sobre eventos futuros para nosso benefício” (Estudo por Tópico: Profetas). Desde o início dos tempos os profetas têm aconselhado e advertido o povo sobre eventos futuros. Por exemplo, Noé construiu uma arca e predisse que o dilúvio inundaria a terra toda (Gênesis 6-8). Moisés advertiu o Faraó das pragas (rãs, piolhos, moscas, granizo, fogo e morte) que viria sobre seu povo a menos que ele libertasse o povo de Israel (Êxodo 7-10). José do Egito advertiu o Faraó sobre a fome severa que duraria 7 anos (Gênesis 41:25-36).

Vários outros profetas profetizaram sobre outras crenças Mórmons tais como o nascimento, morte, ressurreição e a segunda vinda de Jesus Cristo. No Livro de Mórmon, o profeta Néfi (antigo habitante do continente americano aproximadamente 550 a.C.) chamou o povo ao arrependimento:

“E falamos de Cristo, regoziamo-nos em Cristo, pregamos a Cristo, profetizamos de Cristo e escrevemos de acordo com nossas profecias, para que nossos filhos saibam em que fonte procurar a remissão de seus pecados” (2 Néfi 25:26).

Crenças Mórmons: Profetas Vivos nos Advertem

Neste exato momento, vários países estão em dificuldade econômica, mas antes disto vários profetas modernos aconselharam o povo a não fazer dívidas. Os Mórmons acreditam que devem viver com o que ganham, não gastando mais do que recebem, ficar fora das dívidas e economizar para dias difíceis. O profeta Gordon B. Hinckley falou sobre isto em 1998:

 “Agora, irmãos, quero deixar bem claro que não estou profetizando, que não estou prevendo anos de fome no futuro. Mas estou sugerindo que já está na hora de colocar a casa em ordem.

Muitos do nosso povo estão vivendo no limite dos seus salários. De fato, alguns estão vivendo de empréstimos.

Temos testemunhado nas últimas semanas mudanças bruscas e temíveis nos mercados do mundo. A economia é uma coisa frágil. Um tropeço na economia em Jacarta ou Moscou podem imediatamente afetar o mundo todo. Ela pode, eventualmente, atingir a cada um de nós individualmente. Há um presságio de tempestade à frente para o qual devemos dar ouvidos. Espero com todo o meu coração que jamais caiamos em uma depressão.

Sou um filho da Grande Depressão da década de trinta. Eu concluí a universidade em 1932, quando o desemprego excedia 33%.

Meu pai na época era o presidente da maior estaca da Igreja neste vale. Isso foi antes do nosso programa atual de bem-estar ser estabelecido. Ele andava preocupado com seu povo. Ele e seus associados estabeleceram um grande projeto de corte de madeira designados para manter os fornos e os fogões funcionando e o povo aquecido no inverno. Eles não tinham dinheiro para comprar carvão. Homens que eram influentes estavam entre os que cortavam lenha.

Eu repito, espero que nunca mais vejamos uma depressão [financeira]. Mas estou incomodado com a grande quantidade de parcelas que está pendurada sobre o povo da nação, incluindo o nosso próprio povo” (“Para os Jovens e os Homens“, Ensign, novembro 1998).

Recentemente concluí um mestrado, mas estou desejoso de trabalhar em qualquer lugar devido à falta de oportunidade de emprego em meu campo de atuação. Antes de me graduar, meu grupo de aproximadamente 40 alunos arranjou uma feira de emprego na universidade, mas nem um empregador sequer apareceu. Sou grato por ter ouvido o profeta e ter economias para emergências, para conseguir me manter até eu conseguir um emprego. Sou grato por Deus nos amar hoje tanto quanto amava os filhos de Israel dos tempos bíblicos. Eu sei que Deus nos guia hoje em dia através do profeta vivo que atualmente é o Presidente Thomas S. Monson. Eu os convido a ouvi-lo e ver por vocês mesmos que ele é um profeta de Deus. Ele fala ao mundo frequentemente e duas vezes por anos ele compartilha as crenças Mórmons e nos aconselha através das Conferencias Gerais da Igreja.

(Vídeo disponível apenas em inglês)

Recursos Adicionais:

Leia os testemunhos dos profetas modernos sobre Jesus Cristo

Peça uma cópia gratuita do Livro de Mórmon

Crenças Mórmons: Preparação das Famílias Mórmons

→ Nenhum Comentário: Profetas Modernos

Preparação das Famílias Mórmons: Como fazer um Armazenamento de 3 meses de Alimentos Para Emergência

junho 25, 2012 · Nenhum Comentário

Por Rebecca

Como membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (inadvertidamente chamada de “Igreja Mórmon” por outros), eu entendo porque a preparação das Famílias Mórmons é tão importante (ver Por que os Mórmons Preparam para Emergências). Os profetas modernos nos ensinam a preparar para emergências fazendo um armazenamento de alimentos para a família para pelo menos 3 meses, fazer uma reserva financeira, armazenar água e com o tempo fazer um suprimento para um prazo maior (“Preparar Todas as Coisas Necessárias: Armazenamento Doméstico”, Panfleto, 2007).

A preparação das Famílias Mórmons não é um conceito novo. Na Bíblia, José interpretou o sonho do Faraó e o advertiu de uma fome severa que duraria 7 anos. Ele aconselhou:

“Portanto, Faraó previna-se agora de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito. Faça isso Faraó e ponha governadores sobre a terra, e tome a quinta parte da terra do Egito nos sete anos de fartura, e ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem.
Assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome” (Gênesis 41:33-36).

Outro aspecto importante da preparação das Famílias Mórmons é a fé em Jesus Cristo. Ele sempre falou aos profetas para guiar seu povo e ainda nos guia em segurança hoje em dia. Ao obedecer aos conselhos dos profetas, eu encontrei paz e felicidade ao invés de me preocupar em excesso sobre futuros terremotos, tornados, enchentes, fogo e outros desastres que podem afetar minha família. A preparação das Famílias Mórmons ajudam as comunidades a ficarem mais preparadas e capazes de responder durante as emergências.

Preparação das Famílias Mórmons: Como?

Os profetas modernos continuam a ensinar a preparação das Famílias Mórmons encorajando as famílias a fazer um armazenamento de alimentos para pelo menos três meses:

“Prepare um pequeno estoque de mantimentos que façam parte de seus hábitos alimentares diários. Uma forma de fazer isso é comprar alguns poucos itens extras todas as semanas e ter um armazenamento suficiente para uma semana. Depois você poderá gradualmente aumentar seu estoque até que tenha o suficiente para três meses. Deve-se fazer um rodízio regular para evitar que estraguem…

Para períodos mais longos de necessidade e onde for permitido, faça gradualmente uma reserva para períodos prolongados com mantimentos que durem muito tempo, tais como arroz branco e feijão, e que você poderá usar para sobreviver. Esses itens podem durar 30 anos ou mais, quando embalados e armazenados adequadamente, em um local fresco e seco. Pode-se fazer o rodízio de uma parte desses itens no estoque mantido para três meses” (“Preparar Todas as Coisas Necessárias: Armazenamento Doméstico”, Panfleto, 2007).

A preparação das Famílias Mórmons é importante para todos, quer a pessoa seja estudante, solteiro, casado, rico ou pobre. A universidade que eu frequentei por alguns anos encoraja os alunos a se prepararem para emergências:

“(1) Compre mantimento para vários dias ou mesmo para uma semana ou mais. Assim, se um desastre acontecer eles terão alimento em mãos para se sustentarem e sustentarem suas famílias por um período de tempo e não ter que confiar apenas e totalmente em Serviços de Alimentação ao Necessitado/Centros de Armazenamento de Alimentos.

(2) Os alunos com filhos pequenos são encorajados a manter um armazenamento de complemento alimentar, fraldas e outros suprimentos para bebês em mãos a todo o momento, uma vez que estes itens podem não estar disponíveis nas lojas.

(3)Todos os alunos são encorajados a armazenar pelo menos 3 galões (aproximadamente 12 litros) de água por pessoa, preferencialmente em embalagens plásticas de refrigerantes de 2 litros (estas garrafas não são biodegradáveis e estão sempre prontas para uso)” (BYU General Emergency Management Plan: Annex G- Emergency Feeding Provisions: Plano de Preparação Geral para Emergências, Universidade Brigham Young).

Em minha opinião, armazenar água é a parte mais importante do armazenamento familiar de emergências, porque uma pessoa pode viver por mais tempo sem alimento do que água. Meu pai compra grandes barris de água que mantêm no jardim por anos. Eu achava que isso não seria necessário até o dia que ficamos sem água e eu não pude nem tomar banho nem cozinhar por falta de água. Felizmente, a família com quem eu vivia tinha alguns galões de água armazenados na cozinha que eu usei para atividades essenciais como tomar banho. Outra vez, minha casa teve o porão inundado e ficamos sem água por uma semana até arrumarem os canos no subsolo. Infelizmente, eu não tinha água armazenada disponível na época e tinha que tomar banho na casa de amigos até que a água foi restaurada em nossa casa.

Meus pais me ensinaram a preparação das Famílias Mórmons através dos seus exemplos. Quando eu era uma garotinha, eu me lembro de um quarto cheio de baldes brancos de comida seca que eu nunca comi porque era o nosso armazenamento de alimentos para emergências.  Infelizmente, a maior parte deste armazenamento expirou e nós nunca o consumimos. Felizmente, a maior parte dos itens utilizados para armazenamento (como trigo, arroz branco, milho, açúcar, feijão, aveia em flocos, macarrão, batata em flocos, e fatias de maça desidratada) podem durar 30 anos ou mais. Minha família decidiu começar a armazenar comida que comeríamos regularmente, para que pudesse haver uma rotação no armazenamento de comida. Minha sempre mantém a dispensa cheia e tem um cômodo no porão cheio de comida armazenada, além de enlatados extras e sacos (fechados a vácuo) com ingredientes básicos (como farinha, feijão e arroz). Ela coloca os alimentos mais novos no fundo da prateleira para que assim comamos os mais antigos primeiro. Quando ela compra comida, ela checa a data de expiração e sempre compra itens que a data seja mais longa.

O passo mais importante da preparação das Famílias Mórmons é começar. Se não tem pelo menos um kit de emergência para 72 horas ou um kit de emergência de 3 meses para a família, comece agora. Não se sobrecarregue financeiramente, mas faça a reserva de itens que gosta gradualmente. É melhor estar preparado do que passar dificuldade com sua família em um momento inesperado. Foque primeiro em cuidar de si e então você conseguirá ajudar outras pessoas necessitadas.

Recursos Adicionais:

Crenças Mórmons: Preparar Para Emergências

Visite uma capela Mórmon perto da sua casa (às vezes usada como abrigo temporário em emergências)

Leia mais sobre Armazenamento no site oficial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

→ Nenhum Comentário: Crenças Mórmons · Profetas Modernos

Destaques na vida do Profeta

junho 25, 2012 · Nenhum Comentário

Os trinta e oito anos e meio de Joseph Smith foram marcados por sagradas experiências espirituais, mas também pelas dores da tribulação, tristeza e traição, como poucos mortais experimentaram. Ele estava nos corações de alguns que sabiam que eram seus irmãos e irmãs para a eternidade, e infelizmente nos corações de outros que desejavam derramar o seu sangue. No final, o último grupo celebrou um breve período de aparente triunfo, enquanto o primeiro recebeu a confirmação do céu que seu desejo seria concedido: “Milhões iriam ainda conhecer o ‘Irmão Joseph’”.

Os principais acontecimentos de sua vida estão abaixo elencados:

1805

23 de dezembro: Nascimento no distrito de Sharon no Condado de Windsor, Vermont. (A família Smith viveu em sete locais diferentes do nascimento de Joseph até a Primeira Visão: Sharon, Tunbridge, e South Royalton, Vermont; West Lebanon, New Hampshire, Norwich, Vermont, a vila de Palmyra, e o condado de Palmyra, Nova York).

1813

Contrai tifo durante uma epidemia e passa por cirurgia na perna em West Lebanon no Condado de Grafton, New Hampshire.

1816

A família Smith se muda para a vila de Palmyra no Condado de Ontario, Nova York.

1820

Início da primavera: A Primeira Visão no Distrito de Manchester, Condado de Ontario, Nova York.

1823

21-22 de setembro: Primeiras instruções dadas pelo anjo Moroni.

19 de novembro: o irmão Alvin morre, Distrito de Palmyra.

1824

22 de setembro: Instruído pelo Anjo Morôni no Monte Cumora.

1825

22 de setembro: Instruído pelo Anjo Morôni no Monte Cumora.

1826

20 de março: Julgado e absolvido da acusação fantasiosa de ser uma “pessoa desordeira” em South Bainbridge, Condado de Chenango, Nova York. A lei do estado de Nova York definia uma pessoa desordeira como, entre outras coisas, um errante ou um “caçador de tesouros”. O profeta havia sido acusado dos dois: A primeira acusação era falsa e foi feita apenas para causar problemas; a utilização da pedra vidente por Joseph para ver coisas que os outros não podiam ver a olho nu, foi à causa da segunda acusação. Aqueles que fizeram as acusações aparentemente estavam preocupados que Joseph poderia defraudar o seu empregador, Josiah Stowell. No seu depoimento o Sr. Stowell claramente afirmou que aquilo não era verdade e que ele confiava em Joseph Smith.

22 de setembro: Instruído pelo Anjo Morôni no Monte Cumora.

1827

18 de janeiro: Casa-se com Emma Hale em South Bainbridge.

22 de setembro: Obtém Livro de Mórmon de anjo Morôni no Monte Cumora.

1828

Fevereiro: Em Nova York, o Professor Charles Anthon certifica a autenticidade do Livro de Mórmon, para logo depois retirar a certificação, se oferecendo para traduzir as placas de ouro ele mesmo. Ao saber que parte das placas estão seladas, então ele diz, cumprindo a profecia de Isaías 29:11, “Eu não posso ler um livro selado”.

12 de Abril: Joseph Smith inicia a tradução do Livro de Mórmon com Martin Harris sendo o escrevente em Harmony, Condado de Susquehanna, Pensilvânia.

14 de Junho: Martin Harris deixa Harmony com as 116 páginas traduzidas do Livro de Leí. As páginas são roubadas no Distrito de Palmyra, Junho-Julho de 1828.

15 de junho: Nasce o primeiro filho de Joseph, Alvin, que morre depois de poucas horas em Harmony.

Julho: Primeiro registro conhecido de uma revelação dada a Joseph  que foi escrita imediatamente após o seu recebimento (Doutrina e Convênios 3).

Julho: Os intérpretes e placas são retiradas do Profeta pelo anjo Moroni.

22 de setembro: Os intérpretes e as placas são devolvidas ao Profeta pelo anjo Moroni, em Harmony.

1829

5 de abril: Oliver Cowdery chega a Harmony vindo de Nova York; a tradução recomeça em 7 de abril de 1829.

15 de maio: Joseph e Oliver recebem o Sacerdócio Aarônico das mãos de João Batista em Harmony, Pensilvânia.

Maio-Junho: Joseph e Oliver recebem o Sacerdócio de Melquisedeque das mãos de Pedro, Tiago e João, às margens do rio Susquehanna.

Junho: Joseph termina a tradução do Livro de Mórmon em Fayette, Condado de Sêneca, Nova York.

Junho: As três testemunhas veem as placas, o anjo Moroni, e ouvem a voz de Deus, Fayette.

Junho: As oito testemunhas veem e manuseiam as placas, Distrito de Manchester.

11 de junho: Os direitos de autoria do Livro de Mórmon são obtidos.

Junho-julho: Retorno a casa em Harmonia, com Emma.

1830

Depois que o editor do The Reflector (Palmyra) imprime trechos do livro de Mórmon em janeiro de 1830, o Profeta brevemente viaja para Palmyra para interromper a publicação não autorizada.

26 março: O Livro de Mórmon é disponibilizado ao público pela Livraria EB Grandin em Palmyra.

6 de abril: A igreja é oficialmente organizada em Fayette. (são anunciados os ofícios do Sacerdócio de diácono, mestre, sacerdote e élder. Ver Doutrina e Convênios 20).

Abril-julho: Se abre o ministério público da Igreja em Fayette, Colesville, e Manchester, New York.

Junho: Recebe revelação de Moisés, capítulo 1, como parte de sua tradução da Bíblia (desconhecida a data exata). A revisão da Bíblia pelo profeta é um projeto em andamento.

9 junho: Primeira conferência da Igreja em Fayette.

30 de junho-março 1831: Continua a tradução dos escritos de Moisés (capítulos 2-8).

Última semana de Agosto: Com Emma, se muda para Fayette.

Dezembro: Recebe a revelação dizendo que a Igreja deveria se coligar em “Ohio” (Doutrina e Convênios 37).

1831

2 de janeiro: Recebe a revelação detalhando por que a Igreja deveria se mudar para Ohio (Doutrina e Convênios 38), o Senhor promete a sua lei e uma investidura.

Por volta de 1° de fevereiro: Chega a Kirtland, condado de Geauga, Ohio. (A sede do governo da Igreja estaria em Kirtland pelos próximos sete anos.)

4 de fevereiro: Edward Partridge é chamado como primeiro bispo (Doutrina e Convênios 41).

9 de fevereiro: Em cumprimento a Doutrina e Convênios 38, o Profeta recebe “a Lei” (Doutrina e Convênios 42).

30 de Abril: Os gêmeos de Joseph e Emma, Louisa e Thaddeus, vivem por apenas três horas.

9 de maio: Joseph e Emma adotam Joseph e Julia Murdock.

3 junho: O gabinete do sumo sacerdócio anuncia a quarta conferência geral da Igreja.

19 de junho: Missouri é designado a “terra de Sião”.

20 de julho: Independence no Condado de Jackson, Missouri, é designado o lugar central de Sião e de seu templo (Doutrina e Convênios 57).

9 de agosto: Deixa Independence ; chega em Kirtland em 27 agosto de 1831.

12 de setembro: Muda-se para Hiram, Condado de Portage, Ohio.

4 de dezembro – 10 de janeiro de 1832: Prega nas áreas de Kirtland e Ravenna, Ohio, em resposta a artigos negativas publicados por Ezra Booth no jornal Ohio Star (ver Doutrina e Convênios 71).

1832

16 de Fevereiro: Recebe, com Sidney Rigdon, a visão dos três graus de glória (Doutrina e Convênios 76).

24 de Março: Sidney Rigdon se afasta e os opositores da Igreja aumentam em Hiram. (O filho adotivo de Joseph Murdock, morre em 29 de março de 1832 em consequência das perseguições sofridas.)

1° de abril: Viaja para Sião (Condado de Jackson no Missouri), retorna para Kirtland, em Junho de 1832.

Outubro-Novembro: Missão em Albany, Nova York e Boston, com Newel K. Whitney (ver Doutrina e Convênios 84:114).

6 de novembro: Joseph Smith III nasce poucas horas antes que Joseph retornasse a casa em Kirtland da missão no leste.

25 de Dezembro: Recebe uma revelação e a profecia sobre a guerra (Doutrina e Convênios 87).

A partir de 27 de dezembro: Recebe a revelação da “Folha da Oliveira” (Doutrina e Convênios 88).

1833

22-23 janeiro: Organiza a Escola dos Profetas (ver Doutrina e Convênios 88:70-80 e 117-141) em Kirtland.

27 de fevereiro: Recebe a Palavra de Sabedoria (Doutrina e Convênios 89).

18 de Março: Organiza a Primeira Presidência da presidência do Sumo Sacerdócio em  Kirtland.

23 de julho: Colocada a pedra fundamental do Templo de Kirtland.

5 outubro – 4 novembro: Missão para o Canadá. Nesta missão, o Profeta viaja para Springfield, Pensilvânia; Westfield, Perrysburg, Lodi, e Buffalo, New York, e, no que era então chamado Alto Canadá (Ontário agora, Canadá), para Mount Pleasant, Brantford, Colburn (Colborne), e Waterford.

22 de novembro: Expulsão dos Santos de Sião (Jackson County, Missouri) e as consequências trágicas da ação das turbas no Missouri.

18 de Dezembro: Escritório do evangelista, ou patriarca, anunciado; as primeiras bênçãos patriarcais são conferidas.

1834

17 de Fevereiro: Organiza o “Conselho Presidente da Igreja”, logo em seguida chama o Sumo Conselho, de acordo com a visão que ele já havia recebido, em Kirtland (ver Doutrina e Convênios 102).

26 de Fevereiro: De acordo com a revelação, começa o recrutamento do Acampamento de Sião (ver Doutrina e Convênios 101, Doutrina e Convênios 103).

5 de maio: Deixa Kirtland e vai em direção do Missouri, dirigindo um dos dois ramos do Acampamento de Sião. A revelação do “Fishing River” (Doutrina e Convênios 105) desfaz o Acampamento de Sião em 22 de Junho de 1834. Retorna a Kirtland no final de julho de 1834.

Outubro: Visitas os Santos em Pontiac, Michigan.

1835

14 de Fevereiro: Organiza o Quórum dos Doze Apóstolos.

28 de Fevereiro: Organiza o Quórum dos Setenta.

28 de Março: Recebe revelação sobre o sacerdócio (Doutrina e Convênios 107).

Julho: Compra as múmias e os pairos egípcios.

1836

21 de Janeiro: Recebe a revelação sobre a glória celestial e vê seu falecido irmão Alvin (Doutrina e Convênios 137).

27 março: Dedica o Templo de Kirtland (ver Doutrina e Convênios 109).

29-30 março: Preside no Templo de Kirtland o recebimento de poder do alto, prometido pelo Senhor cinco anos antes, junto com um grande grupo de líderes do sacerdócio.

3 de abril: Com Oliver Cowdery, recebe série de visões no Templo de Kirtland: O Senhor aparece e aceita o templo; Moisés restaura as chaves da coligação de Israel; Elias restaura as chaves da dispensação do evangelho de Abraão (a ordem da família eterna ); Elias restaura as chaves da plenitude do poder selador do sacerdócio (Doutrina e Convênios 110).

20 de Junho: Filho, Frederick Granger Williams Smith nasce em Kirtland.

25 de julho-setembro: Missão em Salem, Massachusetts, (ver Doutrina e Convênios 111).

02 de novembro: Ajuda a organizar Kirtland Safety Society Bank.

1837

6 de abril: Segunda assembléia solene realizada no Templo de Kirtland.

Maio: Em Kirtland, uma grande dissensão interna na Igreja começa com o “Pânico Econômico de 1837”.

Junho: Envia os primeiros missionários para a Inglaterra, chegam em 19 de julho de 1837.

27 de Julho: Folhas de visitar Santos, em Toronto, Canadá; retorna no final de agosto 1837. 4

27 setembro – 10 dezembro: Realiza uma Conferência em Missouri.

1838

12 de janeiro: Deixa Kirtland para escapar da violência da multidão associada com a apostasia de Kirtland.

14 de março: Chega com a família em Far West, Condado de Caldwell, Missouri.

2 de junho: Alexander Hale Smith, seu filho, nasce em Far West.

6 de agosto: Alguns dos santos dos últimos dias sofrem com os casos de violência no dia da eleição em Gallatin, Condado de Daviess, Missouri.

9 de outubro: Em resposta aos apelos Santos dos Últimos Dias por proteção contra a violência da crescente turba, o Governador do Missouri Lilburn W. Boggs respondeu que “a disputa era entre os Mórmons e a turba”, e que “poderíamos resolver o problema sozinhos”.

11 de outubro: Condus os Santos de DeWitt, Condado de Carroll, Missouri, para Far West.

25 de outubro: Batalha do Rio Crooked, morte do Elder David W. Patten dos Doze, e morte de um membro da milícia do Missouri.

27 de outubro: Respondendo aos falsos e contenciosos relatórios de que os santos eram culpados de cometer ações agressivas, o Governador Boggs emite a sua “ordem de extermínio” contra os santos que viviam em Jefferson City no Missouri.

30 de outubro: Ataque aos Santos dos Últimos Dias em Haun’s Mill, Condado de Daviess, Missouri.

31 de outubro: O Profeta e outros líderes da Igreja são feitos prisioneiros no que deveria ser uma reunião de paz com líderes da milícia do estado do Missouri cerco Far West.

1 de novembro: Arbitrariamente e sem qualquer fundamento, o Profeta é sentenciado à morte, “como um aviso aos Mórmons” depois de uma corte marcial ilegal; a vida do Profeta é poupado pela coragem do General Alexander W. Doniphan. Os membros da milícia do estado saqueiam a cidade.

01 de dezembro: Depois da corte ilegal em Richmond, o Profeta e vários outros são presos na Cadeia de Liberty, Condado de Clay, Missouri, para aguardar o julgamento das falsas acusações de “traição” e de “assassinato”. Ligado a resistência dos Santos à turba, e à morte de um desses milicianos durante a Batalha do Rio Crooked. Joseph Smith foi acusado de ser um cumplice já que ele não estava presente.

1839

20-25 março: Enquanto estava na prisão, recebe Doutrina e Convênios 121, e Doutrina e Convênios 122 e 123.

16 de Abril: No caminho para o julgamento em Columbia, Condado de Boone, Missouri, é permitido que escapasse do guardas.

22 de abril: Se reúne a sua família em Quincy, Condado de Adams, Illinois.

10 de maio: Se muda com os Santos para Commerce (posteriormente Nauvoo), Condado de Hancock, Illinois.

27 junho – 8 de agosto: Chegada das caravanas de membros provenientes da missão dos Doze à Inglaterra.

21-22 julho: Grandes dias de cura, Commerce (Nauvoo), Illinois, e Montrose, Iowa.

29 de outubro de 1839, 04 de março de 1840: Viaja para Washington D.C., para apresentar ao Congresso uma petição contra os agravos feitos contra os Santos no Missouri. Seu encontro tanto com o presidente Martin Van Buren (29 de novembro de 1839) e alguns membros do Congresso resultam infrutíferos.

1840

14 de setembro: Falece em Nauvoo, Joseph Smith Sênior, pouco depois de assegurar a seus filhos no leito de morte de que Joseph viveria para completar sua missão e que Hyrum deveria receber o sacerdócio patriarcal.

5 de outubro: A pedido do Profeta, seu escrivão, Robert B. Thompson, lê o “Tratado sobre o sacerdócio”, na conferência geral, aparentemente, o único discurso do Profeta do qual temos um texto exato.

1841

19 de janeiro: Recebe uma revelação instruindo o sacerdócio a construir o Templo de Nauvoo e Casa de Nauvoo; especificadas as chaves e ofícios do sacerdócio. (Doutrina e Convênios 124)

1 de fevereiro: Eleito para o Conselho Municipal de Nauvoo.

4 de fevereiro: Eleito tenente-general da Legião de Nauvoo (milícia da cidade).

Primavera: Realiza a primeira ordenança do casamento eterno.

6 de Abril: As fundações do Templo de Nauvoo são terminadas.

5 de Junho: É novamente preso sob as falsas acusações de traição e assassinato a pedido do estado do Missouri, acusações pelas quais havia sido anteriormente preso na Cadeia de Liberty, a intenção era de pedir seu transferimento ao Missouri para que fosse julgado; o mandado de prisão é revogado em 10 de Junho de 1841. O Profeta disse que sua defesa se baseou em parte no fato “de que a acusação, no Missouri, foi obtida por suborno, fraude e coação, tudo o que eu estava preparado para provar”.

7 de agosto: o irmão, Don Carlos, morre, em Nauvoo.

8 de novembro: Dedica a pia batismal do Templo de Nauvoo. Os primeiros batismos pelos mortos são realizados na fonte em 21 de novembro de 1841.

1842

5 de janeiro: Começa a funcionar a loja geral em Nauvoo (conhecida como Red Brick Store).

Fevereiro: Torna-se editor-chefe do Times and Seasons.

7 fevereiro: Um filho morre ao nascer (sem nome).

1 de março: Começa a publicar o Livro de Abraão.

17 de março: Organiza as mulheres na Sociedade de Socorro de Nauvoo.

4 de maio: Em uma sala superior da Red Brick Store em Nauvoo, o Profeta administra as primeiras ordenanças de investidura como conhecemos hoje; nove homens a recebem, incluindo Brigham Young, Heber C. Kimball e Willard Richards.

19 de maio: É eleito prefeito de Nauvoo.

6 de agosto: Profetiza que os Santos continuarão a sofrer perseguições e serão levados as Montanhas Rochosas.

8 de agosto: Se esconde depois que dois mandados infundados de prisão são emitidos, falsamente acusando-o de cumplicidade na tentativa de assassinar o governador do Missouri, Lilburn W. Boggs, um sinal de que os inimigos da Igreja no Missouri iram a todo custo tentar capturar o Profeta. (Acusações similares forjadas pelos seus inimigos no Missouri perseguiriam o Profeta pelo resto de sua vida.)

Agosto: Escondido, registra expressões comoventes de gratidão para aqueles que o ajudaram desde o início de seu ministério.

1 a 6 de setembro: Por carta, anuncia novas diretrizes para a administração de batismos para o mortos (Doutrina e Convênios 127, 128).

26 de dezembro: Voluntariamente se rende em Nauvoo sob a acusação feita pelo estado do Missouri de tentar assassinar Lilburn W. Boggs.

1843

5 de janeiro: É liberado por um juiz federal em Springfield, sua decisão dizia que sua prisão era ilegal já que morava no Illinois.

2 de abril, 16-17 de maio: Ensina a doutrina agora contida em Doutrina e Convênios 130 e 131, em Ramus (agora Webster), Illinois.

28 de maio: Selado a Emma Smith para o tempo e a eternidade.

11 de junho: Prega a respeito da importância da coligação e da construção do templo.

13 junho – 1 julho: Os funcionários do Estado em associação com um xerife do Missouri e um policial do Illinois conspiram para prender o Profeta na casa de parentes de sua esposa em Dixon, Illinois, pretendendo levá-lo embora para o Missouri, seus amigos frustram o plano, e o Profeta ganha a liberação nos tribunais.

12 de julho: Registrada a revelação sobre o casamento celestial (Doutrina e Convênios 132).

Dezembro: O profeta coloca Brigham Young responsável de supervisionar as ordenanças do templo, na sua ausência.

1844

29 de janeiro: O Profeta anuncia a candidatura à Presidência dos Estados Unidos.

20 de fevereiro: Instrui os Doze Apóstolos em supervisionar e organizar expedições para explorar e procurar um novo local para os santos no Oeste.

25 de fevereiro: É feita uma profecias de que os Santos estarão livres das mãos de seus inimigos dentro de cinco anos. (Primeiro grupo de Santos chegam ao Vale do Lago Salgado em  julho de 1847.)

Março: Entrega a última designação aos Doze Apóstolos, colocando a responsabilidade pelo trabalho do reino sobre os seus ombros.

07 abril: Faz o discurso de King Follett, um marco doutrinário.

17 de maio: Indicado como candidato a presidência dos EUA pela convenção de Nauvoo.

7 de Junho: É publicado o Nauvoo Expositor, incitando o ódio e o medo em Nauvoo: ódio pela difamação ao Profeta e suas acusações contra outros líderes da Igreja, e o medo da revogação da Carta Nauvoo que impediria que os Santos governassem a cidade.

10 de junho: Concluindo que está operando dentro das prerrogativas concedidas pela Carta Nauvoo concedida a cidade pelo estado de Illinois, o conselho da cidade passa uma ordem e autoriza o profeta como prefeito em “destruir” o Nauvoo Expositor, todo o maquinário para impressão é destruído.

25 de junho: Voluntariamente se entrega à polícia em Carthage, Condado de Hancock, Illinois, acusado de incitar um motim, linguagem usada para descrever a ação de Joseph na destruição do Nauvoo Expositor, o Profeta, então, é acusado de traição por ter declarado a lei marcial em Nauvoo.

27 junho: Martirizado em Carthage com o seu irmão Hyrum.

29 de Junho: Sepultado com o seu irmão Hyrum em Nauvoo.

→ Nenhum Comentário: Profetas Modernos

O que os Mórmons acreditam?

junho 8, 2012 · Nenhum Comentário

Recentemente, tem se falado muito sobre as crenças Mórmons, mas poucos são os que perguntam aos Mórmons o que eles acreditam. Devido a este fato, equívocos sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias abundam e são repetidos como se fosse verdade. Os Mórmons declaram suas crenças e outros as reafirmam, como se não pudessem confiar nos Mórmons para declarar suas próprias crenças franca e claramente. Entretanto, muitos amigos de outras religiões começaram a perceber que as crenças Mórmons, quando retratadas corretamente, são completamente diferentes dos seus abundantes equívocos. Espero que este artigo possa esclarecer algumas crenças verdadeiras do Mormonismo.

Por Seus Frutos os Conhecereis

Antes de começarmos, dê uma boa olhada nos Mórmons. Você sabe que pessoas boas vêm de boas filosofias e religiões responsáveis, e os Mórmons são pessoas ótimas. Muitos são famosos (Mitt Romney, Jon Huntsman, Bob Bennet, The Osmonds, David Archuleta, Chelsea Higtower, Stephenie Meyer, Gladys Knight, etc.). Uma grande quantidade de tempo tem sido dedicada para tentar determinar porque os Mórmons tem tanto sucesso. Eles levam uma vida absolutamente limpa e são conhecidos como o povo mais caridoso e que mais voluntaria nos Estados Unidos.

Os Mórmons são conhecidos por sua boa saúde e suas famílias adoráveis, e seu envolvimento com esforços de caridade e serviços humanitários. Sua estatística é admirável – o índice de divórcio para casamentos realizados nos templos Mórmons é de apenas 6,5%. Para entrar em um templo Mórmon, os Mórmons devem viver sua religião completamente. Isto significa que eles devem guardar todos os mandamentos de Deus, incluindo a lei da castidade. Eles devem manter a lei de saúde Mórmon, chamada Palavra de Sabedoria. Isto significa que eles não fumam, não fazem uso de bebida alcoólica, não bebem café ou chá forte, ou fazem uso de drogas ilegais. Eles devem ser dizimistas integrais, isto é devem estar em dia com os dízimos e ofertas, e não pode haver nada de errado em seus lares. Os Mórmons não se escondem ou guardam segredos. Eles participam ativamente na comunidade onde moram. As visitações públicas aos templos, realizadas antes da dedicação dos templos Mórmons para uso religioso, mostram que os templos são locais de pureza, paz e luz, são A Casa do Senhor.

Os Mórmons Centralizam sua Crença em Jesus Cristo

Os Mórmons centram suas crenças no Senhor e Salvador, Jesus Cristo. Ele é o Criador e Salvador do mundo. As escrituras Mórmons dizem que através Dele, Deus criou mundos sem fim, e que não há outro nome pelo qual podemos ser salvos. Os Mórmons acreditam em revelação e que os céus sempre estiveram abertos, com Deus revelando verdades que nos aproximarão Dele.

Os Mórmons acreditam no Cristo bíblico, Jesus de Nazaré, que nasceu em Belém, um subúrbio de Jerusalém. Os Mórmons acreditam que Jesus foi crucificado e morreu por nossos pecados. Embora aproximadamente todos nós herdemos um grau de gloria nos céus (mesmo quem não acredita), a salvação pode ser vista como um dom gratuito, mas a Exaltação na presença de Deus é condicional ao nosso arrependimento, caridade e esforços em seguir os mandamentos de Cristo.

Os Mórmons acreditam que durante os três dias que permaneceu morto, Jesus foi ao paraíso, a parte do mundo dos espíritos reservados para os justos e um lugar onde ele prometeu encontrar e bandido perdoado que estava sendo crucificado ao seu lado. Ele organizou os justos do mundo dos espíritos para levar o evangelho para os espíritos que foram iníquos ou ignorantes, para que pudessem ter a oportunidade de ter Sua graça salvadora. Estes espíritos estão esperando a ressurreição e o julgamento. Como Cristo visitou o mundo dos espíritos, este trabalho continua após a vida, para que todos tenham acesso igual à sua verdade. Ninguém será condenado em ignorância.

Os Mórmons acreditam que Cristo ressuscitou e apareceu para Seus apóstolos como um homem resuscitado e glorificado. Após ensina-los e organizar Sua igreja, e os enviar, Ele foi ministrar a “suas ovelhas de outro aprisco”, um ramo de Israel nas Américas, e às dez Tribos perdidas. Os Mórmons acreditam que Cristo ainda é um ser ressuscitado e que retornará como tal. Como a Bíblia diz, Ele nunca fez nada, a não ser a vontade do seu Pai no Céu, um ser separado. Juntos com o Espírito Santo, eles são Deus, três pessoas separadas, com um intuito, mensagem e ação.

Os Mórmons acreditam em guardar os dois grandes mandamentos – amar a Deus com todo o coração, e amar a seu próximo como a si mesmos. Todas as coisas sobre a Igreja de Jesus Cristo e seus membros demonstram esse amor e devoção.

Recursos Adicionais:

Crenças Mórmons

Mórmons

Vida após a Morte

Famílias Mórmons

→ Nenhum Comentário: Crenças Mórmons

Joseph Smith

outubro 8, 2008 · Nenhum Comentário

Nascimento:

Joseph Smith, nasceu em 23 de dezembro de 1805, em Sharon, Vermont. Faleceu 27 de junho de 1844 em Carthage, Illinois, às mãos de uma turba enfurecida.

 

Ministério:

Como fundador e primeiro presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Joseph Smith criou uma comunidade de membros da Igreja, em Nova York, Ohio, Missouri e Illinois. Ele atuou como o líder da Igreja a partir do dia em que a mesma foi organizada em 6 de abril de 1830, até que ele foi martirizado em 27 de junho de 1844.

 

Preparação e Chamado:

Com apenas 14 anos de idade, Joseph Smith procurou a Deus em forma de oração para saber qual era a verdadeira igreja, onde ele iria encontrar a “verdadeira” religião organizada na área em que ele vivia. Em resposta a essa oração, ele teve uma gloriosa visão de Deus O Pai e seu Filho, o senhor Jesus Cristo. Três anos mais tarde, ele começou sob tutela de um anjo chamado Moroni, que iria visitá-lo e instruí-lo em intervalos regulares anuais para pelos próximos quatro anos. Em 27 de setembro de 1827, foi dado a Joseph Smith as posses das placas de ouro e a partir destas o Livro de Mórmon foi traduzido, e o seu ministério estava tendo inicio.

 

Interação com Deus:

Joseph Smith recebeu visões claras de Deus e sentiu também os calmos sussurros do Espírito Santo. Ele recebeu revelações através de visões das quais ele profetizou, sempre orou e assim também recebeu respostas a essas orações. Ele era familiarizado com a visita de anjos, e seres celestiais, ele traduziu antigos registros através do dom do Espírito Santo. Os registros de suas interações com a deidade proporcionaram revelações importantes para que os membros da igreja possam se guiar nos dias atuais.

 

Situação Social:

Naquela época da historia Americana, havia uma grande agitação religiosa, um constante desejo de reforma religiosa era um problema muito grande. Sob direção divina, Joseph Smith começou seu ministério como profeta, restaurando a Igreja de Jesus Cristo como ela era em sua essência quando o senhor andou pela terra.

Como a igreja começou a crescer, isso gerou um desconforto as comunidades locais, que por sua vez se mostraram temerosos, da influência política e espiritual que viriam a ser a ser exercidas pelos “mórmons”.

Por isso, essas comunidades “mórmons” passaram a ser perseguidas e mortas, muitos membros da Igreja, incluindo Joseph Smith foram perseguidos e mortos, o martírio de Joseph aconteceu em junho de 1844. Sob a direção de Brigham Young, o sucessor de Joseph, a Igreja foi levada a oeste do Grande Vale do lago Salgado e também aos seus arredores.

 

Magistério:

Joseph Smith ensinou claramente sobre a natureza do relacionamento da humanidade com a divindade e o mesmo da divindade para conosco. Ele ensinou que o Pai Celestial, Seu Filho Jesus Cristo, e o Espírito Santo são seres distintos e separados, unidos em um só propósito. Ensinou que a nossa finalidade é a de seguir os ensinamentos de Jesus Cristo, através da qualificação e de uma vida virtuosa e vivendo de acordo com a graça de Cristo, nos vamos conquistar o direito de viver eternamente na presença do Pai na vida vindoura, onde seremos abençoados com as mais ricas bênçãos do pai celestial. Joseph também enfatizou a importância do sacerdócio que é a autoridade na terra para agirmos em nome de Deus.

→ Nenhum Comentário: Profetas Modernos

Brigham Young

outubro 8, 2008 · 2 Comments

Nascimento:

O Profeta Brigham Young Nasceu 1 de junho de 1801 em Whitingham, Vermont. Faleceu 29 de agosto de 1877 em Salt Lake City, Utah.

 

Ministério:

Tal como o sucessor de Joseph Smith, Brigham Young liderou o grande movimento para oeste a partir de Illinois ele guiou os mórmons (como também são conhecidos os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias) para o grande Vale Salgado. Ele ficou conhecido pela historia geral como uma espécie de Moisés norte americano por seu papel em guiar os Santos Últimos Dias, nessa jornada através do deserto do oeste da América do Norte, eles atravessaram todo o Oeste americano, incluindo Idaho, Wyoming, Utah, Arizona, Novo México, Colorado, e Califórnia. Seu ministério foi não só espiritual, mas também bastante prático já que ele supervisionou o crescimento da religião mórmon, bem como o desenvolvimento econômico da Região da Grande Bacia.

 

Preparação e Chamado:

Brigham Young ingressou na Igreja aos 30 anos de idade após um período de considerável estudo e de oração relativos ao Livro de Mórmon. Ele não foi facilmente persuadido, mas, uma vez que ele soube da veracidade do livro, ele aderiu a Igreja. Ele serviu em uma missão no Canadá aos 31 anos, foi ordenado um Apóstolo aos 33 anos de idade, foi mantido como presidente do Quórum dos Doze Apóstolos até os 38 anos de idade (foi quando serviu uma missão na Grã-Bretanha a partir entre as idades de 38-40), e tornou-se o Líder da Igreja com 43 anos após a morte de Joseph Smith em 27 de Junho de 1844.

 

Interação com Deus:

Brigham Young era um homem prático e direto, a quem foi dado, talvez mais de impressões do que visões e pensamentos. Ele era conhecido por ter sonhos, que por sua vez, eram inspirados por Deus. Ele também foi dado o dom da profecia, e em acordo e com esse dom espiritual os seus olhos viram o desenvolvimento do futuro da Igreja no Grande vale do lago salgado assim como o de sua população.

 

Situação Social:

Muito do trabalho do Presidente Young consistiu em guiar o povo rumo aquela terra prometida assim como colonizar aquela vasta região do Oeste dos Estados Unidos. Ele enviou centenas de fiéis membros da Igreja para criar assentamentos. Ele também negociou o desenvolvimento político do território no Estado, numa época em que muitos dirigentes nacionais opunham-se à Igreja.

 

Magistério:

O Presidente Brigham Young ensinou que os membros da Igreja devem ser corajosos em fazer a obra do Senhor. Quer resolver um novo espaço, servindo uma missão em qualquer parte do mundo, ou um obedecendo ao pedido da mãe para doar comida para um vizinho carente, e tudo isso deveria ser feito com o Espírito de Deus, confiando em a Sua vontade e sabendo das bênçãos que ele pode nos proporcionar.

→ 2 Comments: Profetas Modernos